quinta-feira, agosto 20, 2009

Hoje, falaram-me de felicidade, conceito tão complexo de analisar, quanto de dificil assunção na plenitude dos nos nossos corpos e mentes, o que me levou a dizer, que gosto de ser feliz, desta forma serena como hoje me sinto. Gostaria de mudar o mundo e sei que nunca o mudarei. Mas vou mudando o meu mundo, na esperança que ele, pequenino, possa influenciar todos os outros, que à volta dele gravitam.


Talvez, hoje,
[sabendo o tudo que sei, tendo aprendido o tudo quanto aprendi,
sabendo o outro tudo que não sei e sabendo o enorme tudo, que ainda não aprendi],
a felicidade serena que me inunda,
caiba no poder partilhar de um chá, de um chão e de uma música...









Algures, pelo mundo, as "lavadeiras" continuam suspirando,
cantando ao vento, magestosos verdes de esperança e luz.
E homens, simples, continuam a plantar, a semear.
Hoje, de nada mais preciso.
Bebamos o chá.

16 comentários:

Maria disse...

Aceito o chá. Mas deixo-o esfriar um pouco. Pode ser que me anime...

Beijo

mfc disse...

Aceito o chá e vamos beber às coisas simples e importantes da vida!
Obrigado e um beijo

legivel disse...

... essa da tal felicidade bem que gostava de lhe ver o feitio e a cor. Se fôr daquela das papoilas saltitantes e face aos resultados doa últimos anos, a felicidade não deve ser muita, não...

Marcia Barbieri disse...

Compartilho com você desse conceito de felicidade, dessa felicidade de microcosmos.


beijos ternos

jorge vicente disse...

eu bebo.
e tento não aprender nada. porque, no fundo, não estamos aqui para aprender nada de novo. já sabemos tudo.

a nossa missão é rememorar. trazer de novo. recriar.

grande beijinho
jorge

MagyMay disse...

A felicidade tem que ser o singelo, a frugalidade, o minimalismo... e ei-la!!!!
Isto, digo eu, que ando para aqui num "now you see... now you don't" para a encontrar

Justine disse...

Que saboroso está o teu chá e o teu texto, acompanhado pelo fantástico Vieux Farka.
Mas o bom mesmo é a tua confissão! Que esse momento de felicidade(sim, porque são sempre momentos, fulgurações)dure uma eternidade...

A.S. disse...

Arábica...

Permite que partilhe das tuas sábias palavras e te acompanhe, deliciado, nesse chá tão saboroso e relaxante...


Beijos!
AL

pb disse...

Obrigado pelo chá, está delicioso. Da felicidade, cada um faz a sua, à sua medida. Um Beijo

casa de passe disse...

Sim, isso pode ser a felicidade no seu estado mais simples e puo...

Só uma pergunta: ainda há lavadeiras?

Alien8 disse...

Arabica,


Eu alinho nesse chá da felicidade :)
Bom fim de semana,

Um beijo!

Duarte disse...

Desejo que estejas totalmente recuperada.
Ando por perto, entre as terras da Maia e a Invicta, na semana que vem quero ir para o Sul, como posso contactar contigo, se isso é possível!...
Estive desligado deste meio e vou seguir nessa linha, falta de meios adequados.
Bom fim de semana e um forte abraço

maré disse...

às vezes perdemo-nos na busca do conceito e doemo-nos de indefinições...

quando é preciso tão pouco!

um chá e uns olhos serenos na construção do mundo, pode ser a felicidade.

um beijo arábica

edgard disse...

Arábica
(lindo nome o seu !)

Vm aqui parar através de outro blogue. Comecei este no fim de semana, depois de um dia xato. Sou cabeleireiro, nasci nu Brasil e trabalho na linha, em Cruz Quebrada. Tenho um namorado, Osvaldo, português que conheci no Tamariz. Osvaldo tem-me pelo beicinho e eu apenas lhe critico as bebedeiras que o fazem bruto e magoam a minha sensibilidade.

Tenho lido com atenção seu blogue e penso que até a cor do fundo me faz lembrar as areias de Pipa, a minha gostosa terra que tantas saudades me dá.

Posso ir aparecendo por aqui?

a felicidade, neste momento é essa, né?

abraços de peito

Edgard

Arabica disse...

Edgard,

visitei seu blog.

"Vamos a elas" ?????????????


Cara, ainda se fosse Roberto Carlos! Há qualquer coisa errada no seu perfil :)

Ainda assim : bons mergulhos no Tamariz. :))

~pi disse...

hortelã da horta

chá da chaleira quente

verde

a b e r t o,





beijo






~