segunda-feira, abril 06, 2009


.

.

.


...adormeceu e sonhou com um dragão, um grande e magestoso dragão alaranjado
que se aproximava dela, como se os dragões ondulassem como serpentes
e sorrissem como pessoas, olhos vivazes postos nos dela, boca agigantada e aberta
onde alguém a incitava a depositar a sua mão,
lembra-se do espanto da mão a entrar na boca do dragão, do espanto da ausência de dentes e da ausência das labaredas de fogo que tanto temia,
espanto daquela boca húmida, quente, macia, a aprofundar a envolvência na sua mão
e o espanto a crescer tanto dentro dela, que a acordou, no espanto de ter sonhado,
ainda com as cores do dragão raiando entre o laranja e o rosa,
nas suas pupilas dilatadas, a boca do dragão desenhada no escuro da sua mente.

escreveu:

[a dor é uma boca de dragão que se aprende a enfrentar no fogo húmido do silêncio uterino]






.
Imagem: O Dragão de Edo, 2007 (iniciativazen)


.

.


.

Música: Ukifune, Japanese Shamisen

45 comentários:

Maria disse...

... haverá por aí dragões com outras cores para além do laranja e rosa. são serpentes que ondulam e enroscam os mais distraídos...

Beijo

O Árabe disse...

Belo texto, amiga; é dentro de nós, que vencemos os dragões da dor de cada dia. Boa semana!

Teresa Durães disse...

por causa dos livros tenho um certo fascínio por dagrões mas nada como as lendas japonesas

dona tela disse...

Apesar das circunstâncias vigentes, auguro-lhe uma Boa Páscoa.

Até breve.

ze disse...

O contador afinal de contas não estava bloqueado, estava é farto de contar um mais um.
Eu sei que não é importante, mas é engraçado.

Val Du disse...

Dragões são fascinantes, coloridos assim, não parecem perigosos. :)


Um beijo.

bettips disse...

Vivo no castelo e tendo à porta um dragão. Não espero um príncipe mas uma mudança de atitudes. Uma ponte levadiça e um dragão doméstico, pode ser em borracha colorida.
Desses, de sonhar.
Bjinho
(já cá venho, vês? após tanta tentativa... sou muito teimosa até me convencer...)

maré disse...

é, a dor é um dragão, uma boca/ventre
de silêncios vermelhos
.

______

um beijo

alice disse...

acho esta definição um espanto, amiga arabica. a reter! e ontem não pude, nem hoje tive tempo, mas o encontro com m. foi muito bom ;) só faltaste tu, linda... beijinhos

~pi disse...

eu não tenho dragões, tenho dois passarinhos ainda com asas coladas ao corpo

e

muito muito

pequenos :)



beijo






~

~pi disse...

( e essa pintura,

bem,

não me parece dragónica,,,

Duarte disse...

Aqui temos a lenda do "Dragó del Patriarca", é um poema muito bonito em língua valenciana. Se passas pelo blog "amigos de Valencia" poderás conhecer esta obra.

Deixas-nos uma boa reflexão.

Abraço-te

LUA DE LOBOS disse...

só me falta mesmo um dragão no meio da minha bicharada ... ah como eu gostava de ter um , pestanudo, gentil e podia ser azul(pavão), amarelo (girassol), apenas que não me largasse fogo quando estivesse já farto de me aturar :)
xi
maria de são pedro

prof disse...

interessante, o sonho...inesperado, o fim (para mim)
Não estava nada a ver o gragão como dor mas como «medos imaginários», «medos sociais»...
um bom resto de semana.
beijinho

ze disse...

Mão estendida de palma para cima
ao dragão, ao cão
Confiar no animal dos outros
que somos nós.
no nosso, no deles.
No futuro; em nós.

Bom post,nem a mais nem a menos.
A dose!

mdsol disse...

:)))

ParadoXos disse...

foi uma surpresa!!
teu beijinho, Grandão!

:-)

Duarte disse...

Voltei, contemplei, fico impressionado com este dragão...!

Deixo beijinhos, meus

Aníbal Raposo disse...

Gostei do que escreveu e igualmente da pintura escolhida.
Beijos

Daniel Aladiah disse...

Querida Arabica
A consonância oriental deste post é notável.
Boa Páscoa
Um beijo
Daniel

Rosa dos Ventos disse...

Estranho e interessante post!
É certamente metafórico...

Abraço

pb disse...

Ai Miga, estas metáforas dão-me cabo da cabeça...Um beijo e Boa Pascoa

mateo disse...

Com esse dragão... tão ovelhinha... não há dor que se mantenha. :)
Bj

Alexa disse...

Amiga lindo texto só nós podemos vencer os dragões
que vão aparecendo na nossavida enfrentado-os sem medo
Abraço


E uma Pascoa Feliz

deliciosas férias disse...

A fragilidade...
Só em sonhos o medo se poderá desfazer em prazer...

Alien8 disse...

Arabica,

O outro sonha com serpentes. (Se não sabes quem é, pergunta ao Manel T., que ele talvez saiba...:)

Tu sonhas com dragões. E sonhas bem, a julgar pelo que li e vi.

Excelente, o poema!

Um abraço.

Alien8 disse...

Arabica,

Pergunta e resposta seguidinhas...
Era uma brincadeira, considerando que logo a primeira música do teu player é do Silvio Rodriguez, e que disseste que o Cais da Saudade tinha um grande reportório de música cubana... Pois a canção "Sueño con Serpientes" é precisamente do Silvio Rodriguez :)

E aqui fica:

Sueño con serpientes

["Hay hombres que luchan un día
y son buenos.
Hay otros que luchan un año
y son mejores.
Hay quienes luchan muchos años
y son muy buenos.
Pero hay los que luchan toda la vida:
esos son los imprescindibles."
(Bertolt Brecht)]

Sueño con serpientes, con serpientes de mar,
con cierto mar, ay, de serpientes sueño yo.
Largas, transparentes, y en sus barrigas llevan
lo que puedan arrebatarle al amor.

Oh, la mato y aparece una mayor.
Oh, con mucho más infierno en digestión.

No quepo en su boca. Me trata de tragar
pero se atora con un trébol de mi sien.
Creo que está loca. Le doy de masticar
una paloma y la enveneno de mi bien.

Ésta al fin me engulle, y mientras por su esófago
paseo, voy pensando en qué vendrá.
Pero se destruye cuando llego a su estómago
y planteo con un verso una verdad.

(1974)


Um beijo.

Arabica disse...

Alien,

obrigada!

Claro que fiquei espantadissima com a resposta! Estou no imeem a ouvi-la pelo Silvio Rodriguez, não há dúvida que esta canção não fazia parte do repertório do Manuel.

Bela canção, poema e música.


Obrigada também pelo poema de Brecht.


Confesso-te que se a conhecesse, não teria descrito o meu sonho, por associá-lo sem dúvida a essa letra. Teria acordado feliz por ter sonhado (exactamente como acordei: é tão raro, tão raro sonhar -ou lembrar-me dos contornos dos sonhos- e, nunca tinha sonhado com um dragão apaziguado!!!) mas teria ficado "arrumadinho" sem me deter na simbiologia pessoal da imagem.

Há sonhos que nos marcam.

Tenho poucos, este é o terceiro.

:) um beijo, um bom resto de noite e um imenso obrigaaaaaaada :)

Alien8 disse...

Arabica,

Então ainda bem que não a conhecias, porque a descrição do teu sonho vale bem a pena. Mas sonhas tão pouco... ou lembras-te pouco: Há quem diga que sonhamos sempre... Esta noite sonhei, mas preferia não ter sonhado. Foi mauzito...

O poema do Brecht é dito pelo Silvio Rodriguez, à laia de introdução, em algumas versões desta música. Pessoalmente, acho que fica lá muito bem.

Conhecia a canção num LP (!) dedicado à "Nova Trova Cubana", com músicas do Silvio Rodriguez e do Pablo Milanés, cantadas pela Soledad Bravo e com orquestrações espectaculares.

Já que andas pelo You Tube... há canções que se ouvem e nunca mais se esquecem e, mais do que isso, é impossível ouvi-las sem nos emocionarmos, e muito - pelo menos no meu caso, e não serei o único! É o caso de "Yo pisaré las calles nuevamente", do Pablo Milanés, que consta do mesmo LP. Acabo de ouvir duas versões no You Tube. Se procurares por "Pablo Milanés yo pisaré" deves encontar o mesmo que eu. Uma versão só do Pablo, com uma introdução em violino, outra com o Víctor Manuel (espanhol). Sugiro-te que ouças primeiro a versão só do Pablo, e depois a outra, que é a que aparece primeiro. Se te apetecer, claro. E, se quiseres, depois diz-me o que achaste.

Arabica disse...

Alien,

pois :) ainda bem.

Sim, há uns anos atrás deixei de me lembrar dos sonhos o que para mim foi muito triste. Raramente tinha pesadelos, os meus sonhos eram "filmes" que eu gostava de recordar aos primeiros minutos do dia. Enfim, agora lembro-me de todos, tal é o espaço entre eles...


...andava aqui numa pesquisa no imeem com o Buena Vista Social Club, tentando encontrar uma canção que o Manel cantava (além da "Hasta Siempre Comandante" e da "Guantanamera"). Mas não consigo. Estou a precisar de ir aos treinos :)

Vou agora fazer a pesquisa que me deixas. Gracias :)

Arabica disse...

Na versão que apanhei no Imeem, não entrava o poema de Brecht. Vou ao youtube...

Alien8 disse...

Até já :)

Alien8 disse...

Ah, e lembras-te de alguma coisa dessa canção que procuras? Um verso? Parte do título? Só para eu saber qual é.
As outras duas conheço muito bem :)

Arabica disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Arabica disse...

A versão com o Vitor Mauel já ouvi.

Está dificil acertar na versão com violino.



Que alma! Que garra!


Gosto muito desta versão:

http://www.youtube.com/watch?v=u436OUA6phU&feature=related

Arabica disse...

Era uma canção muito engraçada, diferente das outras, julgo que era a história de um comboio que apitava pelo caminho :)

(às vezes consigo ser mesmo tonta)

Ouvi-a poucas vezes, foi uma música que ele trouxe no ouvido de Cuba, quando lá esteve em 2002 e que, depois algumas noites lhe saía naturalmente.

Alien8 disse...

OK, a versão com violino está aqui:
http://www.youtube.com/watch?v=ur3mW68ISCE

Essa que referes... não estou a ver. Também, se veio de ouvido, o mais certo é eu não a conhecer mesmo.

Agora vou ouvir a versão que recomendas da "Yo...".

Alien8 disse...

A versão que me indicaste é a mesma de que te falei, com o Víctor Manuel!
Os nossos browsers andam desajustados :)))

Arabica disse...

sIM, já encontrei :)

deixa ver:

http://www.youtube.com/watch?v=ur3mW68ISCE

Arabica disse...

pois andam!


Apareciam imensas versões!

Arabica disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Alien8 disse...

Não estive lá, mas é muito possível!

É isso tudo que dizes...

Arabica disse...

...a emoção vem logo à flor da pele com o violino e depois é o desaguar de toda a História.

A clamar pela nossa voz mais profunda, pela nossa solidariedade, pelo nosso sentido de justiça, a nossa raiva de impunidade, a nossa esperança.


De liberdade, de igualdade, de um mundo melhor onde os homens tenham direito a viver.

Não apenas sobreviver.


Quase que juro que a cantou no Olga Cadaval em Janeiro 2003.

Alien8 disse...

Já comentei :)

Arabica disse...

Acrescentei apenas mais umas palavras...