sábado, Janeiro 24, 2009

Um sociopata tem aversão a sociedade, um psicopata não tem essa aversão, mas é um indivíduo que transgride as regras e as normas sociais.

.
.
.

Neste tempo conturbado de noticias várias -vindas de vários pontos do planeta- em que tanto se fala de violência doméstica, de crianças submetidas a sofrimentos vários, de crimes, capangas, corrupção, de desistência, de psicologia, de perfis psicológicos, de transtornos de personalidade, do poder dos sociopatas, do poder dos psicopatas e do poder que no dia a dia, inadvertidamente, pessoas incautas, de boa fé e vontade (ou não) e algumas delas, de certa forma, por isso mesmo, desprotegidas -e a falta de protecção pode ser de várias índoles- lhes vão dando, é bom relembrar esses mesmos perfis, na tentativa de não os deixar chegar ao poder que eles tanto ambicionam.





.





Sociopata: "As características dos sociopatas englobam, principalmente, o desprezo pelas obrigações sociais e a falta de consideração com os sentimentos dos outros. Eles possuem um egocentrismo exageradamente patológico, emoções superficiais, teatrais e falsas, pobre ou nenhum controle da impulsividade, baixa tolerância para frustração, baixo limiar para descarga de agressão, irresponsabilidade, falta de empatia com outros seres humanos, ausência de sentimentos de remorso e de culpa em relação ao seu comportamento. Essas pessoas geralmente são cínicas, incapazes de manter uma relação leal e duradoura, manipuladoras, e incapazes de amar. Eles mentem exageradamente sem constrangimento ou vergonha, subestimam a insensatez das mentiras, roubam, abusam, trapaceiam, manipulam dolosamente seus familiares e parentes, colocam em risco a vida de outras pessoas e, decididamente, nunca são capazes de se corrigirem. Esse conjunto de caracteres faz com que os sociopatas sejam incapazes de aprender com a punição ou incapazes de modificar suas atitudes. Quando os sociopatas descobrem que seu teatro já está descoberto, eles são capazes de darem a falsa impressão de arrependimento, falseiam que mudarão "daqui para a frente", mas nunca serão capazes de suprimir sua índole maldosa. Não obstante eles são artistas na capacidade de disfarçar de forma inteligente suas características de personalidade. Na vida social, o sociopata costuma ter um charme convincente e simpático para as outras pessoas e, não raramente, ele tem uma inteligência normal ou acima da média."





Psicopata: "O psicopata, por sua vez, superdimensiona suas prerrogativas, possibilidades e imunidades; "esta vez não vão me pegar", ou "desta vez não vão perceber meu plano", essas são suas crenças ostentadas.Toda lei ou norma, gera temor e inibição, implicam na possibilidade de castigo. A lei está feita para domar, para obrigar e para condicionar as condutas instintivas dos indivíduos. O psicopata não apenas transgride as normas mas as ignora, considera-as obstáculo que devem ser superados na conquista de suas ambições. A norma não desperta no psicopata a mesma inibição que produz na maioria das pessoas.Para os contraventores não psicopatas, vale o lema "Se quer pertencer a este grupo, estas são as regras. Se cumprir as regras está dentro, se não cumprir está fora". Mas o psicopata tem a particularidade de estar dentro do grupo, apesar de romper todas as regras, normas e leis, apesar de não fazer um insight, não se dar conta, não se arrepender e não se corrigir. Sua arte está na dissimulação, embuste, teatralidade e ilusionismo.Os psicopatas parecem ser refratários aos estímulos, tanto aos estímulos negativos, tais como castigos, penas, contra-argumentações à ação, apelo moral, etc., como também aos estímulos positivos, como é o caso dos carinhos, recompensas, suavização das penas, apelos afetivos. Essa última característica é pouco notada pelos autores. O psicopata não modifica sua conduta nem por estímulos, positivos, nem pelos negativos.Para o psicopata a mentira é uma ferramenta de trabalho. Ele desvirtua a verdade com objetivo de conseguir algo para si, para evitar um castigo, para conseguir uma recompensa, para enganar o outro. O psicopata pode violar todo tipo de normas, mas não todas as normas. Violando simultaneamente todas as normas seria rapidamente descoberto e eliminado do grupo.A particular relação do psicopata com outros seres humanos se dá sempre dentro das alterações da ética. Para o psicopata o outro é “uma coisa”, mais uma ferramenta de trabalho, um objeto de manipulação. Essa é a coisificação do outro, atitude que permite utilizar o outro como objeto de intercâmbio e utilidade. Esta coisificação explica, talvez, torturar ou matar o outro quando se trata de um delito sexual, sádico ou de simples atrocidade."
.


.

"Mentes Perigosas", escrito por Ana Beatriz Barbosa Silva, Médica Psiquiatra, parece-me ser um livro a ler e a não esquecer:

http://www.objetiva.com.br/objetiva/cs/?q=node/1690

.
Tenho a noção que é uma humilde contribuição da minha parte para esta sociedade que tantas páginas de jornal faz escrever. Tenho a noção, que neste sábado de sol envergonhado, um poema suave ou sensual talvez vos caísse melhor. Ou escrever sobre a esperança.
.




Desculpem.
.




Mas é exactamente sobre a esperança que escrevo.


É a esperança que me leva a escrever, a procurar, a encontrar respostas.

Se não soubermos identificar como saberemos enumerar, argumentar, duvidar, defender os nossos direitos e ideais?


Na esperança de um mundo mais lúcido e mais forte no combate à desistência, ao desespero e ao poder do mal.


Deixo-vos um esboço de flores. Para me redimir :)

.
.
.
.



.

.

.

Música: 1ª Adágio G minor, Albinoni (The London Fox Orchestra)

..............2ª Sinnerman, Nina Simone versão Felix Da Housecat's....(nota minha: batimento para acordar rssss)

48 comentários:

ze disse...

Concordo plenamente.
Após a indentificação poderemos (e deveremos)sempre elaborar uma estratégia de defesa para nós e para outros que estejam ou venham a estar na vizinhança do dito animal.
Pessoal e actualmente a minha abordagem é:
-não demonstrar medo (ainda que minta)
-Fazê-lo(a) crer que assim que quiser poderei fazer uso de maldade em doses iguais ou superiores às que ele algum dia já praticou. E aí minto descaradamente.
-Publicitar a identificação, o rótulo de animal, a todos os que possa.

Arabica disse...

Há dias em que a simples leitura de um artigo de jornal nos revolta.


Beijos e um bom sábado.

mariab disse...

Infelizmente, temos sempre a noção de que conhecemos pessoas que encaixam numa ou outra definição. Terrível. Mas é importante esclarecer, sim. Beijos e bom fim de semana.

Arabica disse...

Mariab

Infelizmente é verdade.
Começa-se agora a ter perspectivas diferentes das suas abordagens nas nossas vidas e na sociedade onde nos integramos.


Depende sempre de nós o conseguirem "ter o poder" que os faz mover.


Abraço.

mfc disse...

Parabéns por essas palavras de esperança e pelo alerta nelas contido.

Leonor disse...

olaaaaaaaaaaaaaaaaa.
saber identificar é fundamental. com racionalidade de preferencia a fim de nao cometermos erros de julgamento ou algo parecido.
um bom post e nao peças desculpa pelo teu apelo de esperança porque ele é muito bonito.
beijinhos

Pipa disse...

Arábica,
resta-me saber se essa luta pela não desistência não passam de palavras num blog...
ou se são a confirmação de um teu pragmatismo...
conta lá uma história tua! :)
Abraço

OUTONO disse...

Acho... que não tens de pedir desculpa...

E a música absolvia-te...se culpada fosses...

Mas não foste e não és culpada...agradeço-te a chamada de atenção.

Beijo.

pb disse...

Ai Mulher, deculpa-me mas gostaria mais do poema....Beijo

mdsol disse...

Muito bom este chamar de atenção! mas, por vezes os mais perigosos são os que, não encaixando na definição, acabam por provocar estragos de tal monta que quase apetece rever os conceitos...
beijinho
:))

Duarte disse...

Agradeço o trabalho exaustivo que expões, aporta uma informação amplia e serve como orientação. O mau é quando o elemento não coincide com o perfil: válido para ambos casos.
Que tenhas um bom domingo.

Abraços

Arabica disse...

Obrigada Mfc!


:)


E que a esperança se consolide.


Beijinho

Arabica disse...

Olá Leonor!


A esperança é uma mensagem bonita :)


Obrigada pela tua visita.

Um bom domingo e um beijo

Arabica disse...

Pipa,

sejam palavras, acções ou pensamentos, terão sempre um impacto.

Se não nos outros, em nós próprios.


Quanto a uma hitória das minhas :)
"sou um caracol a monte do seu próprio umbigo" :)


Bom domingo para ti, abraço.

Arabica disse...

Outono,

ainda bem que gostaste da música.
Já agora, qual delas preferiste?

Um alerta, uma chamada de atenção, o que quiseres. Faz - me impressão o mediatismo dado a certas pessoas.


Abraço, bom domingo

Arabica disse...

PB,

já calculava.
Paciência, amigo :)


Um abraço.

Arabica disse...

mdsol


Mas o que está em causa, são as pessoas que encaixam no perfil, são julgadas, condenadas e continuam a manipular e a "gozar" com as leis da sociedade civil.

Uma verdadeira afronta.


Nas suas mãos, acredito que há muitos anos, muitas pessoas, tem sido coisificadas.

Todo este post foi construído, após, pela segunda semana consecutiva, o expresso ter editado uma entrevista com Hosmany Ramos, brasileiro, considerado psicopata, julgado por diversos crimes em 1981, foragido, escritor actual de best sellers, dar a conhecer a sua vontade de se candidatar às eleições de 2010, no Brasil, para Presidente daquele país.

Onde é que um ser destes merece tal mediatismo? E se o merecer, não deveria a propria entrevista dar a conhecer todos os factos , inclusivamente que ele foi considerado psicopata, que tentou aquando do julgamento ter sido dado como inimputável e que não o conseguiu?

O tempo de 1981 até 2009 e o seu trajecto se encarregará de falar por si mesmo.

Não gostei da entrevista de hoje.
Considero-a incompleta e tendenciosa.

Defendo os direitos humanos!

Mas...um ser com este perfil a presidente?!

"Bora" lá, ler todos os compêndios e "road-books" sobre o assunto, ok?

Abraço grande

Arabica disse...

Duarte,


tal como fui cuidadosa com as folhas dos eucaliptos, fui o mais racional possível hoje.

Ademais, poderás ver na net o assunto que no comentário anterior já alarguei e expliquei.


Um abraço solidário nestes tempos de ventania, amigo!

Bill Stein Husenbar disse...

Plenamente de acordo.

http://desabafos-solitarios.blogspot.com/

Val Du disse...

Minha querida, um bom domingo para você.

Temos que ter fé na esperança de um mundo melhor.

Beijos.

Arabica disse...

Bill


Ainda bem :)

Fico contente.

Ou menos desanimada :)

Branca disse...

A mente humana é uma caixa de segredos...
Visitando seu espaço...gostei muito!

bom domingo pra vc,
bjos.

Arabica disse...

Val


há dias em que as mãos negativas do King me viram do avesso para as positivas do depois:)


Construir a esperança.


:)


Bom domingo para ti também :)

Pipa disse...

arábica,
mais uma mestre da fuga? tu?
não perguntei se tinham impacto, em nós ou nos outros. perguntei se tu és só palavras ou se de facto ages no mundo. Sem juízos de valor, só por curiosidade...

Arabica disse...

Aos visitantes:


através da m resposta para a mdsol poderão perceber a razão de ser deste post.

Não fiz a ligação logo, porque realmente pensei que seria ajudar ao mediatismo.


Mas a noticia ao longo do dia foi lida e comentada por muitas pessoas, que como eu, não ficaram indiferentes.

Enfim.

É domingo e a esperança chega em aguaceiro :)

ze disse...

A chuva não mata, só molha.
Ou apressa para o abrigo.
Se por algum acaso houver alguma entidade divina com foro meteorológico a querer comunicar verticalmente no sentido da terra, decerto não o fará através de bonanças soalheiras, mas com noites de vento e dias de chuva.
Granizo, quando impaciente.
Neve na melancolia.

Arabica disse...

Branca

obrigada e espero que volte sempre :)


Por vezes por aqui há poesia e bambus esvoaçantes ao vento :)


Mas confesso que nem sempre, o vento por vezes é forte e leva-me para longe da varanda :)

Beijos e bom domingo

Arabica disse...

Pipa

Ninguém chega a quase 5 décadas de vida sem agir, sem de alguma forma marcar com as suas impressões digitais o tempo, a vida, o espaço, de que fez parte.

Não sou uma nuvem, não sou suave e não me dissovo com o ar ou a chuva.

Posso ser forte como um café e acordar mentalidades.

Posso ser árvore e ter abrigado em mim flores e frutos que amadurecidos seguiram o seu destino.

Posso ser onda do mar e conforme chego à praia volto a partir.


Posso ser imensas coisas e poderei usar imensas metaforas, mas inexistente não sou :)

Espero que a tua curiosidade fique assim satisfeita.

:)

Arabica disse...




concordo em absoluto com as ideias imagens impressas o teu comentário.



Sorrindo...

Arabica disse...

-no-


no teu comentário.

L. Malloy disse...

Acompanha o meu blog, por favor.

L.

Vivian disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Vivian disse...

...ambos
tanto o sociopata,
como o psicopata,
se servem da loucura...

é sim...
esta tão famosa loucura
que rege o mundo.

o primeiro na certeza que
de está no caminho certo.
e e segundo exercendo piamente
o que sua natureza diz...

mas ambos na roda deste planeta
que se cercar é um hospício,
e se cobrir, é um circo.

bjusss

Tecnenfermaginando disse...

Olá.

Quero agradecer pelo cruzamento de referência que fiz a uma postagem em meu blog.

Após uma pesquisa detalhada cheguei a este site.

Mias adiante já vou me retificar.

Mais uma vez obrigada.

E... pelo blog.


http://onascerdosol.blogspot.com/2008/12/texto-atribudo-fernando-pessoa-por-essa.html

Arabica disse...

Malloy


se-guindo-te...

Arabica disse...

Tec


Não tens de agradecer.


Já tanto se escreveu sobre o assunto :) e ainda assim provoca erros :)


Sem erro de domicilio, aqui fica o meu abraço.

Arabica disse...

Vivian



quem nos dera a nós o outro circo de magia de equilibrios e luzes de sonho!


Resta-nos o imaginar.


Beijos

Duarte disse...

Insisto, desculpa pela persistência, mas alguns equivocam-nos mesmo. Existem tantos descarreirados (descerebrados)!

Abraços

Licínia Quitério disse...

Vivemos um tempo em que os horrores se mostram inteiros, sem desculpa. Temo o dia em que não fiquemos horrorizados.

Um grande abraço, Amiga.

Arabica disse...

Duarte,


tens todo o direito a persistir :)


Parece que os disturbios e transtornos de personalidade correm o risco de se banalizarem.


Lutemos contra os seus efeitos.


Precisamos de pedradas no charco e de boas intenções :)

Arabica disse...

Licínia,

Talvez não venha a acontecer.

Talvez a capacidade de nos horrorizarmos, que ainda temos, seja preservada por nós e herdada pelos nossos filhos e netos...

Depende de nós.


Da amplitude que lhe damos, do protagonismo que tem nas nossas vidas, das nossas escolhas e posturas.


Ainda tenho esperança :)


Abraço, minha querida.

Pipa disse...

ficou muito satisfeita a minha curiosidade. obrigado

Alien8 disse...

Arabica,

Exactamente, foi sobre a esperança que escreveste, ilustraste e musicaste. Aquele Adagio é fabuloso.

"Chamar as coisas pelos nomes que elas são" é sempre oportuno. Lembrar também.

Daí a importância do teu post. Não tens que te redimir, a manos que tenhas pecado... Estou a pensar na gula, mas... ? :)))

Um beijo!

innername disse...

já valeu a sugestão de leitura, estás redimida. Não conheço esta autora/psiquiatra. Mas assusta-me viver numa sociedade cada vez mais esquizofrenica...linkei pro meu multiply...a tua pagina e o livro.
Cheers

Arabica disse...

Pipa, ainda bem :)

Arabica disse...

Alien,


há um ditado antigo que diz que todas as estradas vão ter a Roma, ou algo no género.


Eu acredito que com alguma magia e sabedoria todos os textos podem ir dar à esperança (lembrei-me agora que deveria ter fotografado -para o efeito- a Rua da Esperança).

Gula. Muita gula. Acabo de digerir meia tarte de frango, tamanho familiar :) Mas ainda não estamos na Páscoa :)

Beijo para ti também.

Arabica disse...

inner :)

Perante o teu gesto...
Cheers :))

Arabica disse...

Alien,

ainda cá volto.

Um dia escreverei sobre o Adagio, a descoberta do Adagio e as inspirações do Adágio. :)

Começará assim: "Há muitos, muitos anos..." :)