sexta-feira, janeiro 30, 2009

Voar


nas cordas de um violino


nas asas

ilimitadas

de

uma

melodia





e...





pousar. Muito tempo depois.

.

.

Bom fim de semana!

.


Música: Parca 1, Farid Farjat

18 comentários:

faridah disse...

panorama yang bagus..

Teresa Durães disse...

como caturra faço isso mas as minhas asas são pequenas... ora

Eduardo Miranda disse...

ATENÇÃO: Isto É um SPAM... um SPAM CULTURAL!!!

... da totalidade das coisas e dos seres, do total das coisas e dos seres, do que é objeto de todo o discurso, da totalidade das coisas concretas ou abstratas, sem faltar nenhuma, de todos os atributos, de todas as qualidades, de todas as pessoas, de todo mundo, do que é importante, do que é essencial, do que de fato conta... de TUDA!!!

(...)
Tuda nasce querendo ser uma revista eletrônica de literatura, poesia e outras coisinhas interessantes, que se auto-definirão melhor com o tempo. Com muita calma, paciência e a ajuda de amigos e colaboradores, vou fazer de tuda para que vingue, pelo simples prazer do fazer.
(...)

Passa lá!!
http://tuda-papeleletronico.blogspot.com/

Eduardo Miranda
O (auto-proclamado) Editor!

O Árabe disse...

Voar... como a seta de um arco, que mira o Universo. :) Bom fim de semana.

cartolina disse...

É só sentir um cheiro bom... ouvir uma música querida... e rapidinho voar pra bem longe

Justine disse...

Pousar, suavemente, nessa pintura oriental, sedutora e serena - como são as tuas palavras:))

PreDatado disse...

Um delicioso e melódico voo.

Vivian disse...

...todo acorde tem com ele
asas de imaginação...

bjuss

OUTONO disse...

Violinos...beleza musical única.

A minha filha mais nova, toca violino...e escreve contos...

Caso possas???

Beijinho.

Bill Stein Husenbar disse...

Belas asas. Que possam voar até ao infinito..

http://desabafos-solitarios.blogspot.com/

mariab disse...

Esse voo lava-nos o olhar. Olhar pleno e tranquilo sobre o horizonte.
Beijo e bom fim de semana

Rogéryo de Sá disse...

Gostei muito de voar consigo. Parei sobre Lisboa e retrocedi. No horizonte acumulavam-se nuvens negras, muito negras.

mfc disse...

A vida sem sonho não presta.

heretico disse...

belo. de um lirismo vibrante e sensível

beijos

Duarte disse...

... como uma andorinha com as asas abertas, ainda que seja com a humidade do ar, que já não aquece as penas...

Abraços

M. disse...

eu imaginei tudo
a musicalidade das palavras

e amanhã é segunda.

beijo

innername disse...

voar devia ser sempre assim, em poesia e sem limite de tempo.
Poema e foto condizentes com o calor que vem da lareira...

Alien8 disse...

Arabica,

E eu que chego já no fim do fim de semana! Mas a tempo, acho, de achar esse teu desejo tão belo como a foto. Diabos levem a minha mania dos jogos de palavras! Deixemos isso e voemos nas cordas de um violino, ou até mesmo nas asas de um lápis (mas onde é que eu fui buscar esta???).

Um beijo.