quarta-feira, janeiro 21, 2009

.
.
.
.
.

se a mudança acontecer
os países deixarão de ser ilhas
muradas
de línguas estranhas.

e os oceanos serão distâncias irrelevantes.

Talvez então faça sentido
no início de cada carta
escrever as coordenadas,
na origem de cada
palavra nossa.

talvez então, a gravata
na metamorfose
do tempo
seja
bússola.

E os homens navios
sem naufrágio à vista.

.
.
.
.
.





















.
.

.
Música: Inquietação, Voz de JP Simões (letra e música de José Mário Branco)

37 comentários:

Lola disse...

Arabica,

E na Babel das nossas esperanças o futuro será solidário e em paz

Beijos grandes

Maria disse...

A utopia das palavras que nos faz sentir bem...
"Inquietação" é uma das cantigas da minha vida, inquieta que sou...

Beijo

ze disse...

Só um pequeno acrescento de autoria de musica à letra de JMB.
O JPS "apenas" não resistiu a interpretar a inquietação com serenidade. Calma. Paciência. E ainda bem que o fez.

Obrigado também pelo teu optimismo.

Arabica disse...

Lola...Babel visitada no futuro de um mundo...

Beijos de bem regressada :)

Arabica disse...

Maria, a utopia tem que fazer parte dos nossos dias. Em pequenas doses, tb ela, mas presente.

Beijo

isabel mendes ferreira disse...

a mudança acontece. sim. por ser urgente.


e porque todos nós mudamos um pouco mais no menos dos dias.



abraço. V.

Arabica disse...

Zé, obrigada pelo lembrete.
Já acrescentei.
Ainda bem que não resistiu.
Gosto de a ouvir também cantada por ele.
A paciência é uma arte.
Tive a sorte, o prazer, a alegria de assistir a espectáculos de ambos, muito recentemente.
:)

Arabica disse...

Isabel,

...célula a célula, demasiadas vezes invisivel a olhos alheios, sem o microscópio da sensibilidade...


Urge. E essa é força matriz.


Abraço.

JPD disse...

Belíssimo poema, Arabica.

A Babel bem precisa de poesia assim.

A propensão para erguer muros está seriamente preocupante!

Bjs

dona tela disse...

Isto tem alguma coisa a ver com o senhor Obama? Desculpe a minha ignorância.

Muitos cumprimentos.

AnaMar (pseudónimo) disse...

A mudança acontece se quisermos.

Alien8 disse...

Arabica,

Gostei muito do poema. Mesmo muito.

But... that's a big IF. Isto quanto ao caso concreto. Podia ser branco, azul ou amarelo, isso é-me indiferente. O que importa é o que vai ou não fazer. E o que vai ou não querer fazer. E o que vai ou não poder fazer. E o que os outros vão fazer. E o que nós vamos fazer..........

Aconteça o que acontecer, o poema permanecerá, e isso já é muito bom.

Beijos.

mdsol disse...

[Arábica, antes de mais , muito obrigada. generosiadde tua!]

As tuas palavras são sábias e sentidas!
beijinho
:))

Marcia Barbieri disse...

Realmente seria muito bom acordar e perceber que não estamos mais em uma torre de Babel.

beijos ternos

casa de passe disse...

estou velho, muito velho e com toda a minha idade, assisti já a várias mudanças. eram todas para melhor, diziam. mas o mundo, as pessoas, estão cada vez pior. piores.

é que vejo.


Ernesto, o avô

bettips disse...

A cadência das palavras deixa-nos numa leve expectativa... o tal oxalá.
a fotografia é lindíssima
citei-te e lembrei-te, surgiu-me o pensamento ao ler-te no coment.!
São assim, coisas que acontecem.
Bjinho

Teresa Durães disse...

Se a mudança acontecer talvez as palavras se desdobrem em frases partilhadas.

Gostei bastante do teu poema. Infelizmente não acredito em utopias...

mariab disse...

talvez a mudança aconteça. talvez seja possível. é bom ter esperança. beijos

Arabica disse...

José Duarte,

obrigada.


Confesso-te que não tenho sonhado muito, mas por vezes gosto de imaginar o mundo -como se fosse um exercicio- caso alguns sonhos se realizassem.

Muros. Começaram por ser protecção contra correntes e ventos. Pedra sobre pedra, do xisto à pedra mais banal. Hoje são barreiras muitas vezes intransponíveis de comuncação ente os povos.


Como derrubar muros sem o medo de ficarmos vulneráveis e frágeis perante a natureza incontida dos outros seres?

Pronto. Lá vêm os direitos humanos à baila :)

Um abraço, Zé.

Arabica disse...

Telinha Dona, eu acredito que tem mais a ver com os bisnetos do Obama (com sorte e muita determinação) :)


Um beijo risonho de malaguetas.

Arabica disse...

AnaMar (pseudonimo)


Queremos.

mfc disse...

Quando assim for poderemos sorrir.

Arabica disse...

Alien


Não sei se leste os meus comentários no post anterior.
Estou de acordo contigo.
Ainda no dia em que o coração voava alto, já eu escrevia "vamos lá a ver se na prática o poder não dará o poder de fazerem o que querem, vamos lá a ver se deixará de ser preciso escolher entre a segurança e os ideais, vamos lá a ver se os governos deixarão de ser indiferentes à miséria, fome, guerra, chacinas, para lá das suas fronteiras e hoje, apenas acrescento: vamos lá a ver se deixarão eles próprios (governos do mundo)de causar tais danos a outros.

Vamos lá a ver, Alien...


Abraço

Arabica disse...

mdsol,


sentidas para lá dos paralelos da realidade.


Um beijinho

Arabica disse...

Márcia


Está nas nossas mãos.

Beijinhos

Arabica disse...

Avô Ernesto


esta vida é uma canseira.


um abraço para si.

afadigado mas com esperança.

:)

Arabica disse...

Bettips,

a foto é um cantinho de Santa Clara, lá no Alentejo perdido já perto do Algarve. Um dos nosssos paraísos escondidos por estradas de muitas curvas e de muitos cruzamentos.

Já te vou visitar:)

Beijos

Arabica disse...

Teresa,


nos meus comentários anteriores perceberás que a expectativa existe mas numa perspectiva muito lúcida.

Foi um momento de evasão na impossibilidade de viajar :)

Arabica disse...

Mariab

É bom:)

Arabica disse...

mfc


até lá, sorrimos nas asas de outras artes, vivências e sentimentos.


(não consigo deixar de ser uma pessoa sorridente, mesmo quando estou em dia não)

:)

Miguel Barroso disse...

Mudar para ser.


Abraços d´ASSIMETRIA DO PERFEITO

Pipa disse...

Também gostei...
...mas não percebi aquilo da gravata!

Arabica disse...

Miguel

embarcar nesse barco


para conhecer o mar...

Arabica disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Arabica disse...

Pipa,


em vez de gravata, maior falta faz uma bússola, para não se perder o norte :)

heretico disse...

"se a mundança acontecer...". força na mudança. está ao alcance de nossos dedos...

gostei muito,

beijos

Duarte disse...

... ao som do piano...!

Não nos deixemos seduzir pelo ensejo. Prudência e expectativa, um bom lenitivo.

Gostei do teu metaforizar.

Abraços