domingo, fevereiro 08, 2009

Um dia, uma data, um momento, um sol, umas gotas de chuva, um murmúrio feliz de amor comungado a dois, um mar por navegar, um cais seguramente revisitado ao longo da vida.
.
.
Foi assim.
.
.
E daqui todos partimos
quando o sol magnânimo, deu lugar à magestosa lua.
Cada um,
ainda,
com um sonho por viver...
.
.

.
.
Música:Nothing Else Matters, Metallica.

20 comentários:

JPD disse...

Muito bonito, Arabica.

Bjs

Idun disse...

... e quantos oceanos ficarão a cantar-nos?

marradinhas afectuosas, arábica.temos andado sem tempo para a blogosfera mas cá viremos visitar-te.

marradinhas afectuosas

Idun disse...

a memória de um abraço de lua, ou do olhar de jade de um gato que só nós sabemos - esses mistérios que nos guardam.

abraço da Humana

alice disse...

é bom saborear um domingo em pequenas doses ;) as princesas são uma ternura! beijinhos.

Rosa dos Ventos disse...

Eu ficaria por esta esplanada!

Abraço

Alien8 disse...

Ah, que bem se estava. Se está. Se estará. :)

A dois, mas não só.

Clap clap, Arabica!

Duarte disse...

A vida está cheia de momentos e de ilusões.
O tempo passa, as recordações ficam,
umas dão felicidade,
ouras nunca existiram.
Há muita vida por viver!!!
Os sítios? Quedam expectantes...

Um grande abraço

Maria disse...

Provavelmente todos temos ainda sonhos por viver.
Por mim ficava frente a este mar...

Um beijo
:)

Licínia Quitério disse...

Um cais de partida para novos navegantes. Que outros mares os acolham com afagos de sol e lua.

Um grande beijo para ti.

O Árabe disse...

Momentos que se eternizam no tempo... e o fazem valer a pena. :) Boa semana, amiga!

Lizzie disse...

Artistas, cientistas e demais gente que olha para a vida sem vendas, costumam dizer que os sonhos são avanços nunca estagnados. Não são boas ambições que se sentem à espera da morte,não senhora, pois que de um nasce logo outro e de outro nasce mais um e desse mais outro.
Uns são públicos com o sol, outros calados como os peixes anónimos que andam no ventre das ondas.
Mas, são todos sonhos, todos, todos, que a aspiração da felicidade não cabe em dicionários, compêndios ou estatísticas e falam a língua que cada um quiser inventar.

Besos

bettips disse...

Sonhos calados como os peixes da Lizzie. Neste lugar a olhar; tantos sonhos que se cruzam nas águas.
Bj

mateo disse...

... os tais momentos que nos amarram ao cais.
Bjs

Justine disse...

Parte-se, com sonhos por viver. Volta-se, porvezes, de mãos vazias...

PiresF disse...

Assim partimos com a cesta dos sonhos para o caminho das pedras, o problema é que nem sempre as conseguirmos contornar.
E vem então o recomeço e partimos com outra cesta nessa outra viagem, esta menos cheia, mais cuidada, mas nem por isso com menos lastro.

Grande abraço.

mfc disse...

Todo o começo está enredado em sonho.

mdsol disse...

A eterna insatisfação humana? A eterna necessidade de transcendência?
Eu gosto de ler que escreves!
:))

mdsol disse...

A eterna insatisfação humana? A eterna necessidade de transcendência?
Eu gosto de ler que escreves!
:))

casa de passe disse...

SOS:

precisamos IMENSO

de um substituto para o João.

Loulou + Nini

alecerosana disse...

abraços