quarta-feira, fevereiro 25, 2009






Convite ao uno, ao silêncio da urbe, aos sons que nos apaziguam e nos remetem ao encontro inadiável com a nossa matéria e a nossa essência, onde nos reconstruimos, em caminhos desertos de atropelos ou ganâncias, delineados na inocência das pedras e das árvores, elegantes na arte dos artesãos do belo, mantidos na veleidade do instante, ali dormem, na espera do corpo que hão-de abrigar, do cansaço que hão-de mitigar, da cegueira que hão-de curar.





Miradouros onde o nosso corpo adormece, deixando o espirito voar...


































































Música: : Moriing Prayer, Sina Vodjani & Choying Drolma

53 comentários:

Duarte disse...

¡¡¡Bueno!!!
Quanto belo!
Deixem-me seduzir pela palavra e acabei deleitando-me de mansinho pelas imagens que com arte fotográfica aqui me foste deixando; alcancei o esplendor da satisfação quando contemplei uma árvore, prematuramente, a abrir os olhos à primavera.

Fui feliz...!

Um chi-coração

Arabica disse...

Para todos vocês, que me lêem, me fazem sorrir, me fazem sentir grata por este convivio e pela vossa companhia, aqui fica mais um passeio pelas termas...

Espero que sorriam ao ouvir o cantar do galo, os pássaros a chilrear, o grasnar dos patos...

Lamento que não apareça o miar do gato...mas isso seria pedir demais :))

Aqui ficam as fotos para quem há muito lá não passa e saudades guarda.

E beijos meus, para todos.

Arabica disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Alien8 disse...

Arabica,

Que sinfonia de fotos, com patos e gatos e bancos e pedras e plantas!

Fico ali sentado naquele banco mais tosco, de costas para o écrã.

A olhar para o gato, é claro, e à espera que mie:)

Beijinhos.

Arabica disse...

Duarte, foste o primeiro!

:) Mais rápido que eu!

Fico feliz por teres gostado.
Mais uma razão para uma visita!


E sim, a Primavera irrompe com toda a sua beleza, fragil e forte, com toda a sua complexidade.

Beijinhos

Ps-fui eu que eliminei comentário anterior, tnha um erro ortográfico (deve ser da fome :)) vou jantar!!)

Arabica disse...

Alien :)) boa noite!

Há por aí alguma coisita para jantar? :) hoje sou eu que venho esfomeada :)!!!!

Eu também gosto de bancos toscos (deitei-me em todos eles, se queres que te diga). Estava-se tão bem no campo e de papo para o ar, como diria e dirá (quiçá) a nossa amiga Prof. :))

Se esperas que o Alá mie, é melhor mesmo esperar sentado :))


Beijos e até já (pelo sim pelo não, mesmo que não haja nada sobre a tua mesa que se jante, vou visitar-te em busca da solução do mistério :))

Maria disse...

Perdi-me completamente na beleza estonteante das tuas fotografias.
Que paraíso!!!

Um beijo

Arabica disse...

Maria, obrigada. Efectivamente as Termas de S.Pedro do Sul, neste mês de Fevereiro, revelaram-se um paraíso. Pessoas q.b., afastando de todo a ideia de uma aldeia fantasma. E amistosas, simpáticas. Juro que os originais, vistos por mim, ficavam muito além do revelado. Tive muita sorte com o sol, com a temperatura da cor, com os caminhos que percorri.


:) abençoado impulso - daquela noite, aqui também registada, que me levou a partir.

Beijos

Alien8 disse...

Arabica,

Pois... a solução do mistério tem-me prejudicado a comidinha... mas estou a trabalhar nela, e depois vamos à janta! :)

Um abraço.

Arabica disse...

Alien,

ainda ontem me encontrei com M.Poirot na RTP Memória e ele me disse para ter calma, que já devia saber o tempo de demora que qualquer análise cuidada leva e que o teu mistério está ainda em fase de segredo de justiça :)))

Já não sei o que mais desejo: se ver o "criminoso" desembuçado :) se ir a um daqueles célebres jantares com que nos premeias :))

Abraço

Licínia Quitério disse...

Serão muito belos todos os miradouros, mas é no teu olhar que moram as águas e as aves e o anúncio dos botões de primavera. Sem isso, não haveria fotos como estas. Lindas de morrer, ou melhor, de VIVER!!

Beijinho, Arábica.

ze disse...

Gostei bastante destas fotografias e consequentemente desta outra vertente do teu olhar,
Que liberta os muros e as janelas do centro do protagonismo, sem deixarem de existir por causa disso.
Encontram antes o seu lugar, tranquilo e sábio plano de fundo do que se move e transforma.
Gostei também mais de ver os patos à luz do dia.
Desculpa o eventual excesso crítico, mas isto é como a roda.
Tem muita inércia! ;)
Beijos

Rui disse...

Segui a segunda foto até onde me foi possível. Pena o Vouga não nos deixar perder. É o meu único queixume.

jorge vicente disse...

e o espírito voa, voa, voa.

nos olhos de um gato e das águas.

um beijinho
jorge

kris disse...

Lindas fotografias..lindos lugares..

adorei...onde fica?


beijosss

Justine disse...

Mira-douros, mira-campos, mira-tejos,mira-pedras, mira-gatos. Mirando interioridades, subtilezas, sabedorias dos afectos!
Abraço pelo que me deixaste mirar:))

Arabica disse...

Licinia, obrigada.


Nem sei que te responder :)

Os meus olhos iam muito sedentos de margens, de cursos de água, iam sedentos d espaços abertos, de espaços sem limites...

Foi talvez essa fome que me permitiu avistar e sentir todos os seres, todas as minúsculas gotículas de luz e água aqui retratadas...

Abraço-te, Amiga.

Arabica disse...

Zé,

embora os posts sobre as casas, tenham sido editados antes, não significa de forma alguma, que a atenção da viagem tenha sido centrada nelas.

Foi apenas por uma questão prática: a tarefa da escolha das fotos era mais simples, mais rápida.

Com efeito, sobre este post, tenho dúvidas ainda, se em vez destas fotos não deveria ter escolhido outras, igualmente belas (a meus olhos). A escolha é-me, por vezes, dificil.

Daí ter adiado este post durante uns dias :)

E acredita: fiz mais uso do banco tosco do caminho do rio, do que da cadeira, daquele café, embora especial, onde se cantava "Should I stay or should I go?"

Quanto a criticas...

Encaro-as com a naturalidade de quem sabe, que todos temos gostos diferentes, quereres diferentes, nos movemos por razões diferentes, e que nem sempre é possível partilharmos das mesmas opiniões...

Salutar é não cair na inércia :))

Beijos

Arabica disse...

Rui, é verdade.

Também me lamentei desse facto no Turismo :), embora o meu caminho preferido tivesse sido, durante os três dias de estadia, o da foto nº 14. É de cerca de 1 Km. Deveria ser de muitos mais :))

Dizem que outrora, havia um pequeno barco que nos atravessava nesse ponto, para a outra margem, onde poderíamos seguir o trilho durante mais uns Kms.

O barco entretanto foi ao fundo.

O percurso do Vouga ficou a perder. E nós também.


Beijos

Arabica disse...

Jorge,


voar é preciso.


De uma forma ou outra.


Beijinho.

Arabica disse...

Kris,


obrigada.


As Termas de S.Pedro do Sul ficam a relativamente poucos Kms da cidade de Viseu e igualmente a poucos Kms da cidade de Aveiro.

É sem dúvida um sitio a visitar.


Beijos

Arabica disse...

Justine,

abraço retribuído, ao olhar retribuido :)

Lizzie disse...

Pois eu cá salpico-me deitada no banco tosco, que a latada não me há-de roubar o sol nem a mim, nem a ti, nem ao gato Alá deitado nas minhas pernas enquanto o bico dos patos descarados, ainda com gotas de rio no bico,me escarafuncha os cabelos a dançarem na brisa sem serem guardas de pensamentos vadios sem rumo.

Esse é um bom sítio para adormecer dos cansaços, para "limpar o relógio":)antes que ele se torne cinza. Ou pó.

Apelativas fotografias onde se ouve silêncio, onde se descobre calma. A calma que sempre apetece, de cabeça encostada no ombro do sossego.

Besos

Mar Arável disse...

O repouso da guerreira

do doce olhar

tinta permanente disse...

São (magníficos) miradouros, fontes de olhar e de reflexões. Sem dúvida. Mas o que mais ressalta é a sensibilidade dos olhar que a todos viu por detrás da objectiva. Parabéns!


abraços!

casa de passe disse...

Não me importava de estar num destes locais em vez de estar com as outras duas aqui na casa. A Alice, a fininha, podia estar comigo, que essa é boa moça.

Ernesto, o avô


ps- por vezes, à noite, jogo com ela ao jogo do uno. é um bom passatempo.

mateo disse...

Muito obrigado!
Ajudaste-me a cuidar da alma.
Bjs.

mateo disse...

... e parece-me reconhecer S. Pedro do Sul...
É, não é?

Alma Nua disse...

...benditos os meus olhos
e sentidos que me permitiram
encartar, emocionar-me
neste post.

maravilhosa você,
com este olhar ímpar.

bjusss

JPD disse...

Belissima série de fotografias, Arabica.

Bjs

vaandando disse...

e por aqui andei lendo devagar e admirando a tua arte mais devagar ainda,_________ são bem bonitas , as tuas fotografias !
abraço amigo

_____________ JRMARTo

mdsol disse...

Tão bonitos os teus miradouros, para eu mirar, mesmo que mire Lisboa, cidade de que gosto muito!
:)))

Duarte disse...

A importância do alimento espiritual não suprime o que o sustem.

Boa saúde

Beijinhos, deixo-te

Arabica disse...

Lizzie


e fica tudo dito!!! :)


Beijos

Arabica disse...

Mar,


foi mesmo!


As guerreiras também precisam de descansar :)


Abraço

Arabica disse...

Tinta,


sensibilidade pode ser uma agravante num mundo em convulsão sistemática. Daí a necessidade de evasão, q.b. e de vez em quando.

Beijos

Arabica disse...

Avô Ernesto,


os jogos de cartas são um óptimo passatempo social.


O do uno é muito criativo e já ouv falar de diversas versões.

Durante este meu passeio, felizmente, não houve tempo para paciências...


Um abraço

Arabica disse...

Sim, Mateo, reconheceste bem!


São as Termas de S.Pedro do Sul, aos primeiros dias de sol deste ano!

Beijos

Arabica disse...

Alma Nua,


eu gosto de acreditar que se focarmos com alguma intensidade o que desejamos, com tempo e vagar, acabamos por encontrar :)


E afinal eu pedia tão pouco, em comparação com outros milhões de pessoas tao necessitadas...


Obrigada :)


Abraço.

Arabica disse...

Obrigada, JPD.


Beijos

Arabica disse...

Obrigada pelo tempo e pelo vagar, Vaandando.



Quanto às fotos, asseguro que ficaram a dever muito aos originais :)


Um abraço, grato.

Arabica disse...

Mdsol

Lisboa é a minha cidade.

Por muito que cresça, que engula periferias na fome de betão e cimento, ainda assim é a minha cidade. A cidade das sete colinas, a cidade do Tejo, a cidade dos poucos jardins. Ainda assim é a minha cidade. De ruas a precisar de asfalto novo, dos prédios a precisarem de obras urgentes, de um plano director eficaz, ainda assim é a minha cidade.

A cidade dos jacarandás no Parque Eduardo Setimo, a cidade das ruelas onde nos perdemos no folego da subida, das varinas já reformadas, agora sentadas nos pequenos cafés d bairro na conversa com as vizinhas, a cidade que escorrega atrevida para o rio, seu amante de sempre.

E ainda assim, com esta cidade no coração, gosto de sair e amar com os mesmos olhos, outras terras e outos sítios. Tudo pertence ao mesmo mundo :)

Ai :) excedi-me no comentário, talvez...?

Abraço

Arabica disse...

É verdade, Duarte.


Um espirito alimentado por um coração caprichoso? :)


Obrigada pelos votos de boa saúde, que te retribuo.


Só não entendi o "deixo-te".


Será uma expressão espanhola, como quem diz até um destes dias?

Espero que sim. Beijinhos

pin gente disse...

tanta calma, arábica!
muito belas as imagens... não são necessárias palavras.
pedem-se momentos de quase silêncio


um beijo

Val Du disse...

Só para comtemplar. Barulhinhos...fragmentos de sons.


Beijinhos.

Bom final de semana.

Duarte disse...

NOOOO!!! Nãooooo!!!
Nem pensar nisso, com o que me custou encontrar-te...!
É uma expressão minha, que também podia ser, deixo-te beijinhos. Em espanhol seria - "besitos te dejo..."
Também sou propenso ao emprego do condicional e às vezes "meto la pata; me equivoco" equivoco-me.

Abraços

alecerosana disse...

Bonitas palavras
Bonitas imagens
Bonita és tu.

Beijo

Arabica disse...

Luisa,


Dias de silêncios cheios.

:)


Beijo

Arabica disse...

Val,


barulhinhos saborosos :)

Arabica disse...

:) Duarte,

traiçoeira a língua portuguesa e, pelos vistos, também a espanhola :)


Beijinhos te deixo também.

Arabica disse...

Alece,


e tu também o és.

Sabes que mais? :) estamos a ficar "cotas e cansadas" :)


Um abraço grande, que tudo corra bem.

Rosa dos Ventos disse...

Belas fotos, mas a última, como não podia deixar de ser, encheu-me as medidas! :-))

Abraço

Alien David Sousa disse...

Tens aqui fotos lindas. A primeira é do outro mundo...mas nao vou mencionar uma a uma ou nunca mais saia daqui.Adorei,simplesmente.

Saudações alienígenas